Especialistas de Medellín e de Porto Alegre trocam experiências para a promoção da paz

crédito: Juan Fernando Gallego Duque/Medellin.gov
crédito: Juan Fernando Gallego Duque/Medellin.gov

A Colômbia, ao longo dos anos, teve sua imagem associada à violência urbana. Em função do narcotráfico, Medellín, segunda maior cidade do país, chegou a ser considerada a cidade mais violenta do mundo, com índices que chegaram a 360 mortes para cada 100 mil habitantes no início da década de 1990. Hoje, o processo de recuperação da metrópole de 2 milhões de habitantes é considerado um case mundial de pacificação.

Na busca por novas experiências para o fortalecimento da cultura da paz e da resiliência, a cidade colombiana enviará a Porto Alegre entre os dias 6 e 10 de setembro uma comitiva de seis técnicos envolvidos no Projeto Medellín Resiliente.

Leia também:

GT Bem Viver define especialistas para nova fase do debate de resiliência

Liderada pelo coordenador do projeto, Santiago Uribe, os especialistas do país vizinho farão um intercâmbio com as experiências da Capital em questões como o Orçamento Participativo, cultura da paz, enfrentamento ao uso e comércio de drogas, alternativas para pessoas em situação de rua e segurança.

Para isso, estão previstas rodas de conversa e visitas às comunidades da Capital, como a vila Santo André e a Restinga. Na primeira, entre outras coisas, os colombianos conhecerão a experiência desenvolvida para solução de conflitos originados pela falta de urbanização e comércio de drogas. O impacto do programa Todos Somos Porto Alegre, destinada à recolocação profissional de carroceiros e carrinheiros da cidade, também será apresentado. Na Restinga, a busca é pela troca de experiências com lideranças comunitárias.

A programação da equipe de Medellín se completa ainda com reuniões de trabalho com o núcleo estratégico do Projeto Porto Alegre Resiliente.

Roda de conversa

Para Porto Alegre, a vinda dos especialistas colombianos é importante para aprimorar as ações realizadas aqui. Os interessados em ouvir os relatos da experiência de Medellín, terão essa oportunidade na terça, 8, quando Santiago Uribe e o diretor do Porto Alegre Resiliente, Cezar Busatto, participam de uma roda de conversa aberta ao público com o tema “O que é e como construir a Cultura da Paz”. A atividade faz parte da quarta rodada de consulta a especialistas do Grupo de Trabalho da área foco Bem Viver, uma das quatro estabelecidas em Porto Alegre para a elaboração da estratégia de resiliência.

A palestra está marcada para as 19h na Sala Álvaro Moreira, do Centro Municipal de Cultura (Av. Erico Verissimo, 3070).