Discussão para incorporar resiliência ao Plano Municipal de Segurança ganha força na Capital

Crédito: Priscila Bittencourte/Divulgação PMPA
Crédito: Priscila Bittencourte/Divulgação PMPA

 

A tarde desta terça-feira, dia 6, foi de discussão sobre resiliência e segurança na Capital. Os vice-diretores do Projeto Porto Alegre Resiliente, David Madalena Monteiro e Patrick Fontes, participaram de um encontro na Secretaria Municipal de Segurança (SMSEG) em que foram debatidas propostas para a elaboração do plano municipal sobre o tema, o primeiro da história de Porto Alegre.

No entendimento dos representantes do órgão da Prefeitura, a lógica da resiliência é fundamental para a formulação de um Plano Municipal de Segurança consistente, que permita o planejamento adequado das ações para cada região da cidade. Na ocasião, Monteiro e Fontes apresentaram a estrutura da estratégia de resiliência que está em desenvolvimento na Capital e também o status de andamento dos trabalhos.

Leia também:

Respeito à diversidade é foco de ação do GT Bem Viver

Empreendedorismo Jovem é tema do GT Diversificação da Economia
A articulação de uma pesquisa com informações detalhadas sobre a violência e criminalidade nas diversas de Porto Alegre é um dos objetivos do Projeto de Resiliência.

“Foi um encontro muito positivo. Tivemos uma ótima receptividade e os presentes demonstraram bastante interesse pelo tema”, avaliou Fontes.

O secretário-adjunto de Segurança de Porto Alegre, João Helbio, falou durante a reunião sobre as ações desenvolvidas pela Secretaria e que já têm um viés resiliente. O Conselho Municipal de Justiça e Segurança (Comjus), que conta com os Fóruns Regionais de Justiça e Segurança (FRJS) como instâncias descentralizadas, foi um dos exemplos.

“Esses órgãos estão incluindo a comunidade nos debates sobre a segurança. São formas efetivas de análise da resiliência das comunidades”, afirmou Helbio.

Também participaram do encontro representantes da Guarda Municipal, das secretarias municipais de Esportes, de Gestão, de Planejamento Estratégico, Direitos Humanos, Juventude, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), 3º Vara da Infância e Juventude, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) e do Gabinete do Prefeito.

Novos encontros para discutir a contribuição da resiliência no Plano Municipal de Segurança serão realizados ainda em outubro. O documento deve ser concluído até o final de 2015.