Conheça os cinco passos seguidos por Medellín para fortalecer a cultura de paz

crédito: Olegario Martínez / Prefeitura de Medellín
crédito: Olegario Martínez / Prefeitura de Medellín

A comitiva com seis técnicos da cidade de Medellín que esteve em Porto Alegre entre os dias 7 e 10 de setembro veio em busca das experiências da nossa Capital para o fortalecimento da resiliência. Mesmo em meio a tantas informações e projetos, a equipe teve tempo também para transmitir um pouco do conhecimento produzido na cidade colombiana, especialmente no fortalecimento da cultura da paz.

Após um período de extrema insegurança entre a década de 1980 e o início dos anos 1990, quando chegou a ser considerada a cidade mais violenta do mundo, Medellín conseguiu diminuir drasticamente os indicadores de violência.

O coordenador do Projeto de Resiliência da cidade colombiana, Santiago Uribe, apontou cinco passos seguidos pela cidade para enfrentar a questão nas últimas três décadas.

1) Reconhecer o problema

Lidar com questões graves exige o reconhecimento das fraquezas. Medellín enfrentou um grave problema de violência, fomentado pelo narcotráfico.

“Primeiro é preciso reconhecer que tua cidade tem um problema e Medellín fez isso. Temos um problema grave e reconhecemos”.

2) Solução pelas mãos de todos

A solução para um problema grave como o da cidade colombiana exige envolvimento. E, para um trabalho ser bem sucedido, o poder público não pode estar sozinho na tarefa.

“Tem que envolver setor público, privado, as organizações civis, os cidadãos…toda a sociedade”.

3) Mais que Polícia

Para muitos cidadãos, segurança ainda é um conceito fortemente relacionado com a presença policial nas ruas. No entanto, enfrentar a questão da violência com seriedade exige um planejamento que vá além do trabalho das forças policiais.

4) Combater a desigualdade

De acordo com Uribe, a razão mais importante para os problemas enfrentados em Medellín é a desigualdade. Uma sociedade em que poucas pessoas contam com acesso a bons serviços públicos e a grande maioria é deixada de lado estará sempre vulnerável a questões sociais.

5) Plano estratégico

O enfrentamento da desigualdade passa pelo acesso da população a mais e melhores serviços. Para aprimorar a oferta, em Medellín foi elaborado um plano estratégico para os próximos 20 anos. Nele, foram elencadas as necessidades dos cidadãos para serviços como saúde, educação, esporte, segurança, entre outros. O mapeamento auxilia a transformar as necessidades em realidade.

“Assim construímos um conceito de segurança humana”, comenta Uribe.

Processo em renovação

Apesar da bem sucedida, a ação dos colombianos, engana-se quem pensa que o trabalho desenvolvido não precisa de ajustes e atualizações.

“Medellín é uma experiência em constante aprendizado, em constante desenvolvimento. Se você baixa a guarda, o crime e as ocorrências podem voltar. O trabalho deve ser constante e precisa ser feito entre muitas secretarias em conjunto com setores da sociedade civil”, conclui.